Notícias

Xel-Ha, no México, é uma das maiores maravilhas naturais do mundo

16/09/2021

Um oásis de águas tão cristalinas que fica fácil observar os peixinhos coloridos entre cenotes e covas. Este é apenas um dos motivos para o parque Xel-Ha, no México, ser considerado uma das maiores maravilhas naturais do mundo.

Localizado no coração de Riviera Maya, em Quintana Roo, que é repleta de atrativos incríveis, o parque é um deleite para quem quer curtir os dias de folga com comodidade, sem se preocupar em fazer traslados ou passeios longínquos. Atividades aquáticas e ecológicas mantém os visitantes ocupados durante boa parte do dia.

Em tempo, a enseada de Xel-Ha não é apenas uma entrada do mar para o interior do continente, mas é também a boca de vários canais de água doce que compõem o maior sistema de rios subterrâneos do mundo, onde se concentram mais de 400 espécies de plantas, animais e peixes de diferentes tamanhos e cores.

Desenvolvendo o turismo sustentável desde 1995, o enorme parque se destaca como aquário natural e não por acaso seu nome, dado pelo povo Maia, significa “onde a água nasce”. Logo percebe-se que muita história já rolou por ali, especialmente durante a invasão espanhola, quando o local servia de porto, centro de escambo e abrigo para marinheiros.

A lenda diz que os deuses dos povos ancestrais juntaram sua sabedoria, ilusões e amor pela beleza para criar um lugar que juntaria o melhor que a natureza poderia oferecer. A satisfação com tal obra foi tanta, que eles resolveram então permitir a entrada dos mortais na área tão sublime que nem parece de verdade. Três guardiões foram então nomeados para proteger o local, que não permaneceu intocado, mas continua bonito.

O que fazer em Xel-Ha?

O rio tranquilo torna o nado e o snorkel as duas principais atividades no pedaço paradisíaco dos maias. Peixes tropicais e outras espécies marinhas saltam aos olhos sem que se faça muito esforço. Em certo ponto a água salgada do mar encontra com a água doce. Os visitantes também contam com boias redondas para fazer o passeio flutuando.

Pelo caminho se revelam mangues e cenotes, como são chamadas composições geológicas formadas há centenas de milhares de anos devido a erosão de cavernas inundadas. Para os povos acentrais, era um espaço de conexão com o submundo através de rituais.

Lenda ou não, fato é que os reservatórios concentram cenários um tanto surreais, fazendo uma ligação com selva, cavernas e um valioso ecossistema tropical. Nos cenotes Paraíso e Aventura é proibido nadar, mas pode contemplar à vontade. Até os mais céticos podem notar que os chamados “deuses” se fazem presentes nos detalhes da mãe natureza.

O tour fluvial pode incluir muitas paradas, sejam em plataformas de descanso ou nos demais atrativos do parque, como a Piedra de Valor, o Salto del Mono, a Trepachanga e a Salpichanga. As quatro opções incluem saltos no azul turquesa do rio, seja o pulo a partir de uma rocha, de cordas suspensas ou de um circuito de tirolesas, garantindo diversão e uma pitada de adrenalina para o dia.

As crianças menores ou menos aventureiras podem aproveitar um espaço desenvolvido só para elas: o Mundo de los Niños, que reúne piscina rasa, playground, escorregadores, circuito de escalada e atividades lúdicas.

Outra parada imperdível é a enigmática caverna maia. A Cueva Xel-Há é um cenote coberto, com claraboias naturais em seu topo. Considerado sagrado, o local proporciona a junção de luminosidade e acústica sob as águas cristalinas, que trazem a sensação de relaxamento.

Além dela, há também a Gruta Ixchel, onde flui uma lagoa de água doce entre paredões cheios de mistérios do passado. Na superfície se observam fósseis de moluscos extintos e até recifes, mais uma pista de que provavelmente Xel-Ha foi completamente coberta pelo oceano um dia.

Ainda na ala aquática do parque, aproveite os dias ensolarados na Bahía de los Caprichos, área tranquila para ficar simplesmente boiando ou observando peixinhos. E também a chamada caleta, uma enseada de correntes suaves, que abriga pelo menos 90 espécies marinhas, como caracóis, barracudas, peixes-boi, tartarugas e o caramujo rosado, que é protegido e vive sob constante monitoramento.

As trilhas na mata podem ser realizadas a pé, de bike ou com um mini trem. A ciclovia leva até o Jardim dos Chacahs, que reúne árvores plantadas por personalidades que visitaram o parque Xel-Ha, com a ideia de deixar um legado para a posteridade.

O farol pode ser um ponto de despedida do paraíso azul. De seu topo, a 40 metros de altura, há vista 360º para o deslumbrante entorno caribenho. A apenas 10 metros abaixo estão quatro escorregadores que facilitam a descida, com queda numa piscina natural. Nada mal, não?


Fonte:

⟨ VOLTAR